quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Èsú ou Èlègbárà


Èsú 
é o início de tudo, aquele que deve ser louvado primeiro dentro do culto africanista. Muitas são as lendas que mostram o lado maléfico e brincalhão de Èsú porém, poucas pessoas respeitam e invocam esse òrísá da forma que realmente esse ímòlé deve ser cultuado. Èsú é o senhor dos caminhos; representa o movimento, o dinamismo, o começo de tudo que possui continuidade. Seu principal ritual é o ìpádè, onde são invocados os ancestrais e o fogo, normalmente entoado em todas ocasiões, até mesmo em ásèsè. Trata-se de um dos òrísás mais importantes de todo panteão africanista pois, é o responsável por tudo que é feito para os demais deuses, sendo o mensageiro entre o òrún(céu) e o àyè(terra). É responsavel pela comunicação entre humanos e seus deuses, sendo ele que responde aos oráculos. É filho de Òdúdúwà e Yèmònjá, sendo irmão de Ògún e Òsóòsì(Òdé). Não existe Èsú sem Ògún e vice-versa uma vez que, Èsú é o caminho e seu irmão a abertura desse caminho. É o primeiro a ser louvado em dias de festas,através do ritual de ìpádè. Quando o ìpádè é "rodado", age como um defumador, retirando as energias negativas do ambiente e sendo despachado no portão, primeiro para o lado direito representando o bem, depois para o lado esquerdo representando o mal e por ultimo para o meio, representando o livre arbítrio. A partir desse ato é que os òrísás estão permitidos à virem do òrún pois Èsú e os ancestrais já foram louvados. Os adeptos, desprovidos de cultura, costumam dizer erroneamente que nesse ritual estamos despachando Èsú, o que não acontece pois, não se despacha um òrísá. É despachado apenas sua comida típica, em um ritual onde simbolicamente é dado caminho para os demais òrísás virem a terra. Existe uma enorme confusão relacionada a Èsú com entidades brasileiras chamadas originalmente de compadres e comadres. Essa confusão foi causada devido a má formação da umbanda, criada em 1908 pelo médiun Zélio Fernandino de Morais, que inicialmente tratava-se de uma religião que cultuaria apenas espíritos brasileiros e tinha como principal propósito a caridade. Mas, a umbanda foi crescendo e aglutinando traços do kardecismo, catolicismo e do candomblé, passando a cultuar santos católicos, espíritos desencarnados(independente de sua nacionalidade) e òrísás. Nessa mistura, alguns òrísás passaram a ser cultuados como entidades. Òsáàlá passou a ser cultuado como Jesus Cristo, Òsóòsì como caboclos(índios do território brasileiro) e Èsú como compadres e comadres(homens e mulheres de rua que, não terminaram seu fardo aqui na terra e voltaram para cumpri-lo e buscar evolução espiritual). Èsú foi comparado a essas entidades pois ambos possuem domínios das ruas e podem representar o bem e o mal. A mistura foi tanta que o nome Èsú ficou relacionado aos homens de rua e Pambu N'jilla(nome de um inkisse masculino da nação de angola, equivalente ao Èsú dos yorubás) passou a ser relacionado as mulheres de rua, que mais tarde devido a um processo de simplificação fonética se tornou "pombagira". Logo, sua cultura foi confundida e, em muitas casas até hoje, Èsú perdeu seu culto e passou a ser apenas uma entidade, deixando até de ser iniciado. Èsú é chamado de Èlègbárà nas terras de dahomé uma vez que, os oriundos dessa região cultuam Èsú como o senhor do corpo(èlè= mais;bárà = corpo). Nas casas da nação Álákètú, Èsú é o guardião do portão, assim como Ògún, sendo responsável por todo o movimento e fluxo de pessoas e clientes no mesmo e protege a casa de energias negativas e de pessoas de más intenções. Nos Kwès de djèjè quem tem a função de guardar o portão é Légbà, vòdún filho de Máwú e Líssá, que não incorpora devido a seu arquetipo arredio mas, por causa da mistura de cultos, é comum vermos Èsú assentado nos portões das casas de djèdè, ocupando de fato,o lugar e a responsabilidade do vòdún Légbà.
Èsú também está ligado a multiplicação e a procriação, sendo o senhor da sexualidade e da ereção.
Possui como principais qualidades:
*Èsú Ínàn- senhor do fogo, sendo o primeiro caminho de Èsú a ser louvado, uma vez que segundo os mitos, tudo no universo gerou-se de uma grande explosão(teoria do big bang) , deixando bem claro que o mundo originou-se do fogo;
*Èsú íyànguí- os mais velhos dizem que é a origem das demais qualidades desse òrísá, sendo o mais velho.Possui a cabaça da existência, dada por seu pai Òdúdúwà;
*Èsú Álákètú- cultuado na cidade de álákètú,onde foi o primeiro rei. Coligado aos caminhos de dinheiro e conforto;
*Èsú Òdàrá- responsável pela parte positiva desse òrísá. Tráz a paz, a saúde, o progresso e todas as coisas necessárias para o bem estar da humanidade;
*Èsú Ákèsàn- Senhor do dinheiro e do processo financeiro da humanidade.Rege os mercados, os bancos e os comércios em geral. Dono das curas tribais africanas e dos jogos de azar;
*Èsú Íjèlú- Associado ao wáàjì, que representa o fruto da terra e, por extensão o mistério oculto da vida e da multiplicação. Senhor do sangue preto juntamente à òsànýn;
*Èsú Lònàn(Ònàn)- senhor dos bons caminhos. Responsável pelo caminhar da humanidade e da evolução do homem. Normalmente, é esse caminho de Èsú assentado nos portões das casas de candomblé;
*Èsú Èlèrú(Èlègbó)- senhor dos ègbós e das oferendas. Nesta forma é responsável de levar tudo o que é oferecido aos demais Òrísás;
*Èsú Òguìrí Òkò- Invocado no culto a Òrúnmìllá. Senhor do mistério das florestas e do culto dos grandes caçadores;
*Èsú Ènúgbáríjò- Senhor da boca, sendo ele o responsável por tudo o que é dito dos òrísás aos humanos e de todas as rezas e òríkís ofertadas aos deuses;
*Èsú Èlèdú- Senhor do carvão, das cinzas e de tudo que foi petrificado. Senhor do defumador e responsável pela purificação do ambiente;
*Èsú Òlógbé- É o senhor dono das facas e de todo objeto cortante. É ele que separa as frações de substâncias para formar outros seres. Guardião dos Ásògún, sendo ele o sacerdote sacrificador da sociedade das Íyámì Òsòròngá;
*Èsú Ígbàrágbò- Èsú no seu aspecto de senhor da força e resposável pela proteção. É responsável pelas cobranças e pelas casas de comércio. Representa a ereção e a posição vertical;
*Èsú Ápúpá- Senhor do dendê.Dono das camadas da pele, protegendo todos que trabalham com a mesma e com o fogo;
*Èsú Lògíkí- Senhor do caminho e do horizonte. Represente a distância entre o òrún e o áyè. Responde pelo jogo de ògbí;
*Èsú Lálú- Veste branco nessa forma e se abstêm de bebidas e dendê; Representa a paz após a confusão e a discórdia, sendo ele a resposta para a solução dos problemas;
*Èsú Tìrírí- É o senhor da alegria após uma vitória ou conquista de um objetivo. Alto conhecedor da magia, sendo ofertado na madrugada. Conhece os segredos da sociedade das èlòyès.


Saudação: Èsú Kògbò Kògbò ònàn Èsú Ámòjúgbá!Láròyè!
Sincretismo: Diabo; Santo Antônio;
Oferendas: ògbí roxo, ípádè, frutas, doces, inhame cará, etc;
cor: colorido; preto e vermelho;
Elemento: fogo e terra;
número: 1(um), 7(sete) e 11(onze);
òdú regente: òkáràn e òwárìn;
Algumas ervas: Aroeira, mamona roxa, pinhão branco e roxo, cana-de-acúçar, arrebenta-cavalo, fortuna, etc.
Dia da semana: Segunda-feira.



7 comentários:

  1. Mo juba irmão. Baba Elegba esteja sempre à frente em seus caminhos. Ngunzo!

    ResponderExcluir
  2. Motumbá Asé ,Motumbá Babá Mi !!!gostaria de saber se Elegbará é duo no sentido homem e mulher ???dizem que ele é O boró apenas ...gostaria de saber mais sobre esse assunto ???pode me ajudar ??????? agradecido !!!!!! Motumbá !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Motumbá asé motumbá amigo Harley! Vou te ser sincero que já ouvi muitos falando e li muitos textos sobre Elegbara ou bara que aparece em aspecto feminino e no aspecto masculino. Posso apresentar para você a minha visão sobre o assunto, que torno a repetir que não sou o senhor da razão, apenas escrevo com base em meus estudos sobre o culto. Para mim, Èsú ou Èlègbárà não se apresenta em sua forma feminina. O senhor do falo (pênis) é Èsú e a senhora da vagina é Íyámí Òsòròngá. Em todas as culturas, seja no Angola onde o Inkisse mais similar a Èsú se chama Pambu N'jilla ou no Djeji onde o vodun com características em comum é Legba, não existe uma divindade fêmea relacionada. Na África ocorre o mesmo, não existindo uma divindade fêmea correspondente a Èsú. Então sinceramente, eu não sei da onde as pessoas tiraram essa ideia. Sabemos que Èsú teve esposas e o mesmo ocorre nos ítòns (lendas) do vodun Legba, onde ele teve duas esposas, mas nenhuma é tratada como divindade. Então irmão, peço até ágò a quem cultua Èsú fêmea, mas não acredito que exista e desconheço a origem do seu culto. Talvez, isso pode ser explicado devido a confusão com exús de umbanda, onde existe o compadre (erroneamente chamado de exú) e a comadre (erroneamente chamada de Pombogira), mas no culto iorubá, fón ou Bantu não existe divindade fêmea para Èsú. Um grande abraço, meu kolofé!

      Excluir
  3. Motumbá Baba,gostaria de saber se elegbara ja e um caminho de esu,ou se ele tem caminhos se e diferente de bará...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Motumba asé, motumbá irmão! Elegbara, bara e Esú são as mesmas divindades, tendo o nome variado conforme localidade. No Benin (antigo Dahomey) Èsú é chamado de Elegbara, o senhor do corpo. Bara seria uma abreviatura do nome Elegbara. Espero que eu tenha ajudado, Kolofé!

      Excluir
  4. Boa tarde! Gostei muito de sua forma educada e respeitosa de responder, você está de parabéns pelo blog com tanta cultura e sabedoria. A energia deste espaço é muito boa. Que as divindades abençoem você com muita felicidade e tudo o que mais deseja. Grata. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço pelo seu carinho! Fiz o blog com o intuito de levar aos adeptos a minha forma de ver o culto. Não sou o senhor da razão, não quero ser radical, apenas levar um pouco do que eu sei e aprendi ao longo dos anos. Obrigado pelo reconhecimento e que os voduns lhe abençoem!

      Excluir