quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Qualidades dos òrísás: caminhos ou deuses diferentes?


Com a chegada dos Europeus ao continente africano, os negros passaram por uma mudança drástica, deixando de ser líderes, chefes de aldeia, súditos, ou simples habitantes para serem qualificados como escravos. Os negros foram levados para os mais diferentes lugares de toda Europa e também para suas colônias. O Brasil era uma colônia portuguesa e, já tinha tentado fazer seus aborígenes de escravo mas, os índios não eram acostumados com trabalho pesado e muitos acabaram adoecendo. Logo, os portugueses trouxeram os negros da África e os juntaram em senzalas, fazendo deles seus empregados, que apanhavam, eram humilhados e tinham todos seus deireitos renegados. Nessa junção de diferentes negros, de diferentes territórios africanos em uma mesma senzala, fez com que seus cultos e deuses fossem aglutinados, passando por grandes transformações. O homem branco forçava os escravos a esquecerem seus deuses pagãos e, queria catequizá-los, ensinando para os negros o cristianismo e toda legião de santos católicos. Para não desmerecer o grande panteão africano, os negros assimilavam seus deuses aos santos católicos, conforme carácterísticas em comum. Ògún foi assimilado à São Jorge, Òsóòsí à São Sebastião, Sàngò à São Gerônimo, e daí por diante. Como já não fosse o bastante, por causa de ser cultutados diferentes deuses, de diversas culturas e territórios diferentes, ocorreu também a aglutinação de deuses onde Ògún foi assimilado à Tògún e a RoxiMukumbe, Òsóòsí à Òtòlú e a kabila, Sàngò à Hèvíòsò e Zázè e, assim sucessivamente. Nessa mistura de cultos, até mesmos certos òrísás perderam suas carácterísticas que os diferiam e passaram a ser cultuados como outros òrísás à que tinham algo em comum. Ònírà por exemplo, é um òrísá do culto as águas, sendo extremamente guerreira; Seu culto foi aglutinado ao de Òyá e ao de Òsún, a deusa da guerreira e a deusa das águas. Foi nessa grande confusão que surgiram as qualidades dos òrísás que nada mais é do que passagens dos mesmos em sua fase terrena, outros deuses que perderam sua cultura e foram confundidos com os òrísás mais conhecidos, vòdúns que por terem características em comum passaram a ser aglutinados ao culto dos òrísás ou títulos desses òrísás em sua passagem terrena.
Exemplo1: Passagem do mesmo em sua fase terrena- Sàngò Àgànjú, fase jovem, onde foi coroado e assumiu o reino de òyó; Sàngò Ògòdò, fase adulta, onde essa divindade constrói sua família polígama; Sàngò Áfònjá, fase mais madura, onde essa divindade está extremamente ligada ao culto dos trovões; Sàngò Ígbárú, fase madura, onde esse òrísá é relacionado ao fogo.
Exemplo2: Outros deuses que perderam sua cultura e foram confundidos com os òrísás mais conhecidos- Áirá é uma divindade relacionada ao culto de Sàngò. Segundo os mais antigos, liderava o exército do grande rei. Possui grande envolvimento com Òsáàlá.
Exemplo3: Vòdúns que por terem características em comum passaram a ser algutinados ao culto dos òrísás- Sògbòádàn é um vòdún que representa a união da família Hèvíòsò com a família Dàn gbírá, sendo um deus coligado ao fogo e a terra, tido para muitos como uma cobra alada que cospe fogo.
Exemplo4: Títulos desses òrísás em sua passagem terrena- Ògbá kòsò, significa o rei não morreu!Título dado à Sàngò após sua suposta morte; Áláfín, título dado à Sàngò após ter se tornado rei de Òyó, sendo o quarto Áláfín de òyó.

Podemos ver nesses exemplos que, todos são tratados como Sàngò porém, verdadeiramente suas qualidades ou caminhos são Ágànjú, Ògòdò, Áfònjá e ígbárú. As demais são títulos ou outros deuses aglutinados em sua cultura.
Essa confusão ocorre com quase todos os òrísás cultuados no nosso candomblé, uma vez que eram mais de 600 deuses na África e aqui se resumiram a 16 mais cultuados. Será que, esses 584 deuses que restaram se tornaram qualidades das divindades mais cultuadas? Alguns sim, outros não mas, sabe-se que existe muita gente aí feita de um òrísá mas é de outro, ou até mesmo feita de òrísá mas sendo de vòdún devido a essa mistura. Com o tempo a tendência é piorar pois, hoje em dia vemos muitas outras qualidades sendo inventadas como Òdé ònísèwè( o caçador de borboletas, o òdé que pensa ser uma òyá), Òyá Dè, òsún òtín, dentre outras maluquices que o futuro nos tem trazido.
A mensagem é a seguinte: Procurem estudar mais sobre as divindades, seus cultos, sua origem para poder fazer as coisas certas. Candomblé é cultura, é estudo...Não pode existir zelador desinteressado ou kòsì. Devemos estudar e nos aprofundar na cultura para podermos fazer a coisa certa.
Na verdade, Sàngò só existem um. O que varia é a forma como ele é cultuado em diferentes òrís. Suas comidas e cores, danças e rituais são os mesmos, diferindo apenas temperos e preferências. Isso serve de exemplo para todos os demais òrísás de nosso panteão e suas qualidades.

3 comentários:

  1. a respeito de òdé ònísèwè, essa qualidade existe a diferença é como algumas casas o cultuam...da forma que eu abordei é a errônea, ònísèwè tem fundamento com òsànýn, òní (senhor) èwè (folhas) e não com òíyá ou borboletas. Òtín também existe, porém não como qualidade de òsún e sim como um òdé, uma caçadora que segundo os mitos possuía 4 seios. Nos demais Òíyá Dè (Dê), òíyá òpàníjé, òsúmárè Dàngbállákraya e outras loucuras realmente não existem e são inventadas pela nova geração sem cultura.

    ResponderExcluir
  2. PELO QUE VOCÊ PUBLICOU NA "'qualidade dos orixas: caminhos ou deuses diferentes", PAIROU EM MIM UMA DÚVIDA??? UM CLIENTE PROCURA UMA CASA DE JEJI E O ZELADOR DIZ QUE ELE É DE ORIXÁ E NÃO DE VODUN, ENTÃO VOCÊ NÃO FAZ A INICIAÇÃO DESTE CLIENTE E MANDA PARA UMA CASA DE KETU???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rogério, Kolofé! Precisamos entender que apesar de realmente serem divindades diferentes e possuírem cultos distintos, o candomblé acaba unindo-as. Então as casas de Ketu cultuam além de seus Òrísás, os Voduns e as casas de Djeji cultuam além de seus Voduns os Òrísás. Essa mistura também ocorre em território africano, devido as duas nações serem vizinhas. Então caso apareça um Òrísá numa casa de Djeji, ele será iniciado e se um vodun aparecer numa casa de ketu ele também será iniciado, variando conforme o nível de cultura do sacerdote. Obviamente que há exceções e alguns òrísás não são iniciados em casas de djeji e alguns Voduns não são iniciados em casas de Ketu, mas se eu fosse entrar nesta questão daria um novo tópico, pois o assunto é muito mais complexo do que aparenta. Respondendo sua pergunta irmão, o sacerdote precisa ser verdadeiro, fazer uma verdadeira pesquisa sobre a ancestralidade daquele "cliente" e ver a qual nação ele pertence e se cabe a ele iniciá-lo ou não. Acredito também que quando batem as nossas portas, é com permissão das divindades, então esse fato que você relatou, apesar de não ser impossível, é muito raro. Um grande abraço e obrigado pela participação.

      Excluir